F1 – Som incrementado e volta do difusor soprado em 2016?

f1-escape-2016-ilustra

Ilustração do escape de 2016 do site Autosport

Os esforços que a F1 está fazendo para tornar seus motores mais barulhentos, fez com que a FIA determinasse mudanças no sistemas de escape dos carros, que pode trazer de volta um dispositivo que fez a diferença para a Red Bull num passado recente.

A partir do próximo ano, o escape tem que ser dividido em um tubo para a turbina do turbo e depois uma ou duas saídas de escape menores (ver pontos menores na ilustração) para as válvulas de alívio.

Uma válvula de alívio serve para regular a pressão para o sistema de escape e é instalada no escape primário, antes de entrar no turbo.

Operada hidraulicamente sob controle da ECU do carro, ela é usada para evitar que os gases de escape acelerem demasiadamente o turbo e criem problemas no sistema de admissão.

Por mais que o ERS-H também seja usado para uma função semelhante, há momentos em que as válvulas de alívio abrirão para desafogar a pressão do escape, produzindo aquele som característico do ‘turbo assobiando’.

Com os tubos de escape agora divididos, os sons de escape ficarão separados e devem ser mais audíveis um do outro. Talvez o som não fique necessariamente mais alto, embora testes de pista públicos serão realizadas para confirmar isso.

Mas aquele som agradabilíssimo do turbo assobiando provavelmente ficará bem mais audível com essa mudança.

O retorno do difusor soprado?

O novo regulamento determina a posição da segunda e terceira saída de escape, ​​que serão na mesma área que a única saída de escape atual.

Nesta posição e orientação, as saídas têm quase nenhuma função benéfica de sopro aerodinâmico.

Além disso, as válvulas de alívio nas saídas de escape separadas vão soprar esporadicamente quando a bateria estiver totalmente carregada e o ERS-H não puder dirigir a potência recuperada diretamente para o MGU-K.

É improvável que os momentos de sopro das válvulas de alívio coincidam sempre com as exigências aerodinâmicas do carro na pista, assim as válvulas de alívio nas saídas de escape seriam ineficazes para uma função de sopro no difusor.

Portanto, as equipes terão grande dificuldade em soprar o difusor – que fica embaixo do ‘assento de macaco’ que todas as equipes usam – como foi na era pré-2014.

Mas nunca de sabe. Os engenheiros da F1 são muito criativos e estão entre os melhores do mundo. Nada impede que algum deles apareça com alguma solução mirabolante, desde que esteja dentro do regulamento ou encontre alguma brecha no mesmo!

AS - www.autoracing.com.br

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que contenham ofensas não serão aprovados pelo moderador.