F1 – Equipes vetam mudanças visando ultrapassagens para 2019

Nikolas Tombazis

A reunião do Grupo de Trabalho Técnico da Fórmula 1 não chegou a conclusões firmes sobre as maneiras de melhorar as ultrapassagens em 2019. O encontro deste sábado foi convocado por Nikolas Tombazis, da FIA, em parte como resposta a um GP da Austrália que contou com muito poucas ultrapassagens.

Uma equipe de engenheiros sob o comando de Pat Symonds tem trabalhado em conceitos para o pacote de 2021, mas nesse ínterim estão sendo procurados para aumentar a quantidade de ultrapassagens em 2019 e 2020.

Os dois principais pontos de discussão foram a potencial introdução de um flape de asa traseira maior e mais alto, destinado a aumentar o efeito do DRS, e mudanças na asa dianteira para facilitar o acompanhamento do carro pela frente.

A pesquisa indicou que os elementos da asa frontal projetados para interagir com a esteira ao redor das rodas dianteiras criam um fluxo de ar que afeta negativamente o carro a seguir.

No entanto, nenhuma das ideias gerou muito apoio das equipes nas discussões deste fim de semana. Embora se reconheça que o DRS é uma maneira relativamente fácil de resolver o problema, o sistema permanece impopular entre os fãs e não é apreciado por Ross Brawn, e houve um debate entre os representantes técnicos das equipes sobre se era o caminho certo a ser seguido.

Em relação à asa dianteira, já era tarde demais para começar a fazer uma mudança tão significativa no pacote de 2019, embora, em teoria, as mudanças técnicas para a próxima temporada tenham que ser carimbadas até 30 de abril.

Havia também pouco apetite por um adiamento até 2020 – o que significaria muito trabalho sendo feito para um pacote aerodinâmico que seria usado por apenas uma temporada, antes das mudanças no atacado para 2021.

Quando as equipes foram convidadas a contribuir com dados para pesquisas futuras, a discussão recorreu à licença de jardinagem e aos casos recentes envolvendo os funcionários da FIA, Marcin Budkowski e Laurent Mekies, com equipes agora cautelosas em fornecer informações demais para as partes neutras.

O chamado acordo de cavalheiros entre as equipes também deve se aplicar aos funcionários da Fórmula 1 que deixam de se juntar às equipes. As propostas de 2019 ainda podem ser encaminhadas ao Grupo de Estratégia e, em seguida, à Comissão da F1, para eventual ratificação pelo Conselho Mundial de Automobilismo.

Segundo relato da revista alemã Auto Motor und Sport, todas as equipes, exceto a Williams, votaram contra qualquer alteração de curto prazo. “Ainda há uma pequena chance de que as equipes encontrem soluções no grupo de estratégia”, afirmou a publicação.

EB - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , , , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.