F1 – Red Bull: Vettel age melhor sob pressão

Sebastian Vettel

Sebastian Vettel

O chefe da Red Bull, Christian Horner, acredita que Sebastian Vettel atua melhor quando está sob pressão durante uma luta pelo título da Fórmula 1, apontando para suas performances em suas campanhas anteriores vencedoras de campeonato.

Vettel vai para a segunda metade da temporada de 2017 com 14 pontos de vantagem sobre o rival Lewis Hamilton, depois de marcar sua quarta vitória do ano no GP da Hungria. Após o polêmico choque sob Safety Car em Baku, Hamilton sugeriu que as ações de Vettel refletiam a falta de compostura do alemão sob pressão.

A maioria dos nove circuitos restantes tendem a favorecer o pacote da Mercedes em comparação com a Ferrari, com o atual campeão mundial de F1, Nico Rosberg, esperando que as Flecha de Prata se afastem da Scuderia antes do final da temporada. No entanto, Horner, que supervisionou os quatro triunfos consecutivos de Vettel como chefe da Red Bull, considera que as performances mais fortes de seu ex-piloto em 2017 ainda estão por vir.

“Sebastian é um indivíduo muito focado”, explicou Horner. “Ele lida com a pressão extremamente bem. É quase como quanto mais forte a pressão, melhor ele responde. Especialmente quando você chega ao final do campeonato, ele é notavelmente forte em sua cabeça e sua abordagem. Geralmente, quando você chegava às corridas fora da Europa, você sabia que estava com um cheiro do campeonato pender para o seu lado”.

Este ano marca a primeira vez desde a última campanha vencedora de campeonato de Vettel em 2013 que ele lidera em pontos nesta fase da temporada. O piloto da Ferrari também tem um registro de nunca ter perdido em uma batalha pelo título durante uma temporada em que ele liderou o campeonato.

Horner insiste que seria uma tolice subestimar Vettel na luta pelo título, citando seu impressionante recorde nos estágios finais de uma temporada, particularmente durante 2010 e 2012. Vettel arrebatou um dramático primeiro título em 2010, assumindo a liderança pela primeira vez naquele ano com uma vitória na última corrida em Abu Dhabi, enquanto quatro vitórias sucessivas nas sete últimas corridas de 2012 o ajudaram a se tornar o mais novo tricampeão do mundo.

“Sua abordagem, sua aplicação, sua atenção aos detalhes, sua ética de trabalho, foram todas as coisas que lhe permitiram entregar esses quatro títulos consecutivos”, afirmou Horner. “Dois deles em 2010 e 2012 foram no limite, 2012 em particular. Ele ganhou uma corrida até deixarmos a Europa (Bahrain), e depois ganhou quatro seguidas assim que fomos para Cingapura em diante”.

EB - www.autoracing.com.br

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que contenham ofensas não serão aprovados pelo moderador.