F1 – Rapidinhas

Max Verstappen

Colaboração: Flavio M Peres

A temporada de 2020 começa a se desenhar e o coração e a imaginação dos amantes do automobilismo começam a fervilhar. O mais importante parece que virá em 2021, porém, o xadrez e respectivo movimento das peças já está em pleno andamento. De pronto, não vou fugir da raia e vou dar o meu palpite para quem vencerá o campeonato de 2020: Max Verstappen (sim, eu gosto de “zebras”) – o holandês está maduro, cheio de fogo, o motor Honda melhorou e a equipe está absolutamente fechada com este objetivo, possível para este ano, até mesmo começando o ano com o cronograma adiantado.

Lewis Hamilton parece ser um gênio não só dentro das pistas, mas também nos negócios. Essa de pedir um grande aumento para se comprometer definitivamente com a Mercedes, assegurando contratualmente que não irá para outra equipe, e, mais, que seria um “Embaixador” da Mercedes depois de aposentado é realmente um lance de mestre! Porém, no lugar da Mercedes, não aceitaria. Algo que dava muita graça ao espetáculo da F1, antigamente, era o Comendador Enzo Ferrari não contratar os grandes pilotos (gostava de dizer que eram seus carros que venciam): isso trazia um certo equilíbrio, pois os melhores carros disputavam contra gênios em outras equipes. Perdeu-se isso na categoria e a Mercedes nos deve essa, pois, afinal de contas, com seus muitos títulos na categoria nos últimos anos, já está consagrada, e pode-se dar ao luxo de tentar vencer sem o melhor piloto da categoria. E eles tem Norris (?) e Russel para colocar no lugar de Hamilton, dois pilotos muito promissores e interessantes. Nada me tira da cabeça, também, que a Mercedes fez um teste no GP dos EUA ano passado, onde deu tratamento de primeiro piloto para Bottas, mas uma boa preferência mesmo, para constatar (ou não), se assim ele seria capaz de vencer até mesmo Hamilton – pelo menos em tais condições. E ele conseguiu. Lewis partindo, teriam de vencer a McLaren com motor… Mercedes! Sim, porque provavelmente Hamilton não vai para a Ferrari (realmente acho que Ricciardo já está fechado com a Rossa para 2021 em diante, ainda que seja só um mero palpite), e, claro, na Red Bull, Verstappen reina absoluto.

Aliás, falando em Ricciardo, penso que a Renault investiu mal, estrategicamente falando, quando o contratou, pagando uma fortuna, para correr a partir de 2019. É uma equipe em desenvolvimento, e, a falta de liderança técnica já era gritante. Pelo que já havia demonstrado na Sauber e na Toro Rosso, era evidente a qualidade de James key para o desenvolvimento do carro. Uma dupla com Hulkenberg e Perez (que ainda leva seus patrocinadores mexicanos) teria sido evidente. Gastaram uma fortuna com o piloto australiano, que andou pouco mais que o Hulkenberg e continuam sofrendo com o desenvolvimento do carro, enquanto a McLaren, com menos dinheiro, avançou a passos largos.

Por falar em Renault, lembram a parceria que ela chegou a propor para a McLaren, e acabou não vingando? Então, esta mente de ficcionista associada à grande paixão por automobilismo, fica pensando que um lugar pode ser criado para Alonso em 2021. A equipe Campos, espanhola, que está se desenhando nos bastidores. Ela poderia justamente ser a tal parceira da Renault na categoria, de maneira, que, a exemplo da Haas, aproveitaria partes importantes do carro, além da complexa unidade de potência. Alonso como rei, digo, piloto, devidamente bancado por patrocinadores espanhois como Santander e a Estrela Galícia. Como Fernando não gosta de segundo piloto competitivo, poderiam trazer Ericsson de volta, com seus 30 patrocinadores suecos. E será que Alonso vence as 500 milhas neste ano? Eu, sinceramente, não gostaria. Mas penso que ele tem excelentes chances de conseguir. E se conseguir, não duvidem que seu último passo no automobilismo venha a ser a Fórmula “E”, para enriquecer seu extraordinário currículo. Não é lá o cara mais simpático do mundo, porém, suas qualidades de pilotagem são realmente espetaculares. E o esporte precisa de figuras polêmicas, fortes e competentes, como ele é.

E o Rio de Janeiro faria melhor levando a Fórmula “E” para lá, do que tentando levar a F1. E, graças ao esforço e iniciativa de Nelson Angelo Piquet, parece mesmo que vai. E Piquet pai será o grande promotor símbolo do evento. Mas Nelson Angelo deveria dar uma trégua com o Lucas di Grassi e aceitar a proposta da prova na Marina da Glória, com aquele cenário lindíssimo da cidade do Rio: é a oportunidade de fazerem a prova mais charmosa da categoria. E é uma categoria com brasileiros, o que, aos poucos, também deve ajudar na sua popularização no país. Sette Câmara tem demonstrado interesse na categoria, inclusive (pena que suas maravilhosas últimas provas na F2, um final de semana e tanto, chegaram tarde, porque ali ele demonstrou habilidade, velocidade, maturidade e controle total da prova e do material). E não entendo por que Felipe Nasr não foi contratado para correr a Fórmula Indy, depois de seu excelente teste com um carro daquela categoria.

E Pedro Piquet vai correr a Fórmula 2 e parece ter pegado um cavalo selado, pois sua equipe foi muito bem nos testes iniciais. Piquet pai o trabalhou em sua formação, remando contra a maré, sem pressa de levá-lo em idade tenra à F1, o que me parece correto e adequado: vai chegar mais “cascudo” e com excelentes conhecimentos técnicos à categoria. O garoto tem dado declarações muito equilibradas, conscientes, de seu desenvolvimento profissional. Não correu com grande material no exterior até agora. E vejo nele um piloto mais técnico, que vai se destacar mais agora com carros potentes e complexos. Claro, é uma categoria duríssima, com muitos pilotos talentosos que estão lá já há alguns anos, e ele ainda precisará se adaptar. Entretanto, se o carro for realmente tão bom quanto pareceu nos testes, será uma chance e tanto de mostrar serviço. Sabem o capacete do clã Piquet que ele usa? Tenho uma sugestão: amarelo ao invés do branco predominante, verde nas faixas, e azul nas figuras geométricas. Continuaria igualmente representante de seu clã, contudo, com as cores brasileiras. Boa sorte!

Flavio M Peres
Poços de Caldas – MG

Quer ver todos os textos de colaboradores? Clique AQUI

Os artigos publicados de colaboradores não traduzem a opinião do Autoracing. Sua publicação obedece ao propósito de estimular o debate sobre automobilismo e abrir um espaço para os fãs de esportes a motor compartilharem seus textos com milhares de outros fãs.

Clique AQUI para fazer suas apostas esportivas

AS - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.