F1 – Novas asas dianteiras custaram €15 milhões para a Red Bull

Asa dianteira da Red Bull

As mudanças nas regras das asas dianteiras da Fórmula 1 custaram 15 milhões de euros para a Red Bull, mas ela já recuperou grande parte do desempenho, de acordo com Helmut Marko, consultor de automobilismo da companhia.

As alterações de 2019 incluem asas dianteiras e bargeboards simplificados visando permitir que os carros andem mais próximos, o que deveria proporcionar corridas melhores e mais disputadas.

A Red Bull foi uma oponente vocal dessas mudanças quando elas foram propostas em maio do ano passado, citando a falta de dados confiáveis para apoiá-las e o impacto financeiro que elas teriam.

Marko disse ao site Autosport que a asa dianteira iria melhorar os prospectos de ultrapassagens na F1, apesar do nível de performance “já padronizado” do meio de 2018, mas “nós estamos 15 milhões de euros mais pobres”.

“Nós temos os mesmos dados (aerodinâmicos) do verão passado”, declarou Marko. “Quando chegarmos a Melbourne, provavelmente estaremos melhores do que aquilo”.

“Porém, agora há uma boa base para discussões entre Mercedes, Ferrari e nós. Nós concordamos que o regulamento não deve ser determinado por técnicos. Quando eles se envolvem, os custos aumentam e tudo se torna complicado. As coisas precisam ser específicas”.

Segundo Marko, as alterações foram “feitas principalmente por iniciativa da Mercedes”, campeã mundial nas últimas cinco temporadas. “Todos podem ver como as ultrapassagens são difíceis para a Mercedes quando eles estão atrás de outro carro”, disse ele.

 

LS - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , , , , , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.