F1 não pode ter conversas “destrutivas”, adverte Brown

Zak Brown

Zak Brown, diretor executivo da McLaren, avisou que as conversas sobre o futuro da Fórmula 1 após 2020 não podem se tornar “destrutivas”.

Todas as equipes têm um contrato individual bilateral com a Formula One Management se comprometendo com o campeonato, e eles são válidos até o final de 2020.

O acordo da Ferrari inclui o direito de vetar regras e também uma estipulação de que ela receberá um bônus no campeonato de construtores todos os anos. Mercedes, Red Bull, McLaren e Williams também recebem pagamentos adicionais.

As conversas relacionadas aos próximos acordos estão em andamento, com Sergio Marchionne, presidente da Ferrari, tendo deixado claro que sua equipe abandonará o campeonato se ele não concordar com as futuras regras.

“Minha grande preocupação agora é que as negociações para o novo contrato serão complicadas, com algumas equipes será mais difícil do que com outras, e acho que nós sabemos qual”, declarou Brown ao site Autosport.

“Eu espero, mas não estou confiante, que eles possam negociar nos bastidores e não muito publicamente; porém, não creio que será o caso porque eles já estão fazendo isso, prejudicando qualquer progresso que conseguimos e provocando preocupação”.

“Sempre que as pessoas acham que um esporte terá uma greve, elas pensam ‘por que vocês não definem tudo e então nós vamos pensar em aderir’. Portanto, só espero que eles não sejam destrutivos demais no processo de negociação”.

“Creio que acabará sendo feito, não será nada além de negociação, mas vimos até onde isso chegou da última vez em 2009 com a proposta de separação. Acho que não há nenhuma chance disso, mas essas histórias serão divulgadas em algum ponto e podem ser destrutivas, principalmente quando não são nada além de tática de negociação”.

 

LS - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , , , , , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.