F1 – Mercedes e Petronas discutem novos projetos de combustível

Mercedes

A Mercedes e sua fornecedora de combustíveis e lubrificantes na Fórmula 1 Petronas têm discutido como podem trabalhar juntas em outras áreas do automobilismo usando combustíveis alternativos.

As duas empresas trabalham juntas na F1 desde 2010, com a Petronas se tornando mais proeminentemente envolvida tecnicamente desde a introdução dos motores turbo-híbridos V6 em 2014.

A Mercedes entrará na série elétrica de monopostos Fórmula E em 2019 como parte de uma expansão em massa do automobilismo elétrico, enquanto o Campeonato Mundial de Endurance está comprometido em ter carros movidos a célula de hidrogênio nas 24 Horas de Le Mans no futuro.

O CEO da Petronas Lubricants International, Giuseppe D’Arrigo, disse ao site Autosport que sua empresa e a Mercedes, além de outras, estavam analisando projetos de combustíveis alternativos juntas.

“Estamos empolgados”, disse D’Arrigo no recente lançamento da busca da Petronas por um novo engenheiro para a Mercedes F1, em conjunto com a equipe. “Estamos discutindo agora com a Mercedes – e não apenas com a Mercedes, porque isso vai além da pista – encontrar uma maneira de representar melhor nossas duas empresas neste espaço”.

“Existem diferentes competições, diferentes espaços onde você pode operar e estamos olhando para as soluções tecnológicas que podemos oferecer. E (olhando) como podemos ser relevantes como uma energia nesses espaços e, igualmente, ir além disso no uso cotidiano”, explicou.

“Estamos conversando com muitas fabricantes e já estamos operando com elas para fluidos de bateria e outros fluidos funcionais que realmente ajudam a tecnologia híbrida em particular a funcionar, seja em veículos comerciais, veículos de passageiros ou veículos agrícolas”, prosseguiu.

D’Arrigo admitiu que seria irrealista pensar que tais tecnologias poderiam se tornar sustentáveis ​​a curto prazo. Mas ele disse que a Petronas está se preparando para investir recursos significativos em novos projetos.

“Se você está olhando para frente, estamos esperançosos em encontrar uma maneira melhor de avançar no futuro”, afirmou ele. “Uma maneira que não seja poluente e que tenha impacto limitado ou nenhum impacto sobre o meio ambiente”.

“Isso é algo que é bom para todos e apoiamos essa transição. Haverá uma transição para o híbrido, mas para olhar adiante, no futuro teremos uma solução que fornecerá uma maneira sustentável e sem impacto de mobilidade”, comentou.

“Isso vai acontecer e como uma empresa temos que nos desafiar para encontrar as melhores soluções de transição para conseguir isso. Comprometemo-nos a comprometer 35% do nosso orçamento para projetos de redução de emissões nos próximos anos”, finalizou ele.

Quer concorrer a uma réplica do capacete do Ayrton Senna? Clique AQUI e palpite sobre quem vai vencer o GP de Campo Grande da Stock Car!

EB - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.