F1 – Mercedes anuncia reestruturação técnica

Toto Wolff

O diretor e sócio da equipe da Mercedes de F1, Toto Wolff, anunciou uma grande reestruturação na equipe técnica sênior e disse tratar-se de um “momento significativo” para a equipe.

Em um comunicado divulgado hoje, a Mercedes confirmou várias mudanças que ocorrerão antes da temporada da F1 de 2019, em um movimento que “verá o bastão entregue à próxima geração de líderes” na atual equipe tetracampeã de construtores e pilotos.

Após sete anos como chefe do grupo de engenharia da equipe, Aldo Costa assumirá o cargo de consultor técnico. Sua posição será ocupada pelo desenhista-chefe, John Owen. Mark Ellis vai se aposentar de seu status atual como diretor de performance, entregando o cargo ao dinamista-chefe de veículo, Loic Serra. Ellis supervisionará a transição de Serra para o cargo até que o seu período sabático planejado comece em meados de 2019. Ainda não está confirmado se o engenheiro de 54 anos voltará a Brackley para um terceiro período depois disso.

Falando sobre a decisão, que foi recebida com total aprovação e adesão por altos funcionários, Wolff acredita que esta é uma “grande oportunidade” para a Mercedes.

“Este é um momento significativo para a nossa equipe e uma ótima oportunidade”, disse Wolff.

“Nós dissemos muitas vezes que você não pode congelar uma organização de sucesso; é uma estrutura dinâmica e tenho orgulho de poder dar o bastão sem problemas à próxima geração de líderes dentro da equipe.”

O austríaco acrescentou que a Mercedes esteve em negociações com Costa e Ellis “por muitos meses” sobre a maneira mais eficiente e bem-sucedida de realizar as várias mudanças, e disse que o legado da dupla dentro da equipe deixará efeitos duradouros e memórias.

Costa se juntou a Mercedes vindo da Ferrari em 2011 e é reconhecido como uma figura fundamental em reunir a estrutura técnica da equipe – culminando em um grande sucesso nas primeiras quatro temporadas da era moderna da Formula 1. Wolff relembrou suas experiências fora da pista com Costa, incluindo competir na Mille Miglia em 2017.

“Estamos em discussão há muitos meses com Mark e Aldo sobre a melhor maneira de implementar essa transição e capacitar seus sucessores”, continuou ele.

“Eles não poderiam ter personalidades mais diferentes, mas ambos respeitaram essa diferença e seu legado com a Mercedes resistirá ao teste do tempo.”

“Desde os primeiros dias de 2013, Aldo e eu compartilhamos muitos jantares em Oxford como companheiros exilados europeus, bem como alguns dias incríveis no carro durante a Mille Miglia no ano passado.”

“Eu o reconheço não apenas como um indivíduo de destaque, mas também como alguém que me ensinou muito sobre a F1 e a humildade necessária para ter sucesso.”

Ellis trabalhou inicialmente com a BAR antes de passar seis anos na Red Bull. Depois de vencer quatro títulos consecutivos com a Red Bull, ele voltou a Brackley em 2014, ajudando a Mercedes a igualar as conquistas da Red Bull.

“Com Mark, quando nos conhecemos, nunca poderíamos imaginar o sucesso que conseguiríamos juntos”, lembrou Wolff.

“Ele tem sido um parceiro no verdadeiro sentido da palavra – e vou sentir falta das discussões sobre ‘amor duro’ com a paixão compartilhada por nossa equipe e motivada pela enorme vontade de vencer.”

“Mark e Aldo ajudaram a moldar o tempo e a maneira dessas mudanças, e o futuro da equipe será muito brilhante com John, Loic e toda a nossa liderança técnica trabalhando sob a direção de James [Allison, diretor técnico]”.

A Mercedes enfrenta a possibilidade de não ganhar os títulos de pilotos e/ou construtores pela primeira vez desde 2013. Depois de dez rodadas do campeonato 2018 de 21 corridas, a equipe segue a Ferrari 20 pontos atrás e Lewis Hamilton está a oito pontos do líder Sebastian Vettel, após a vitória do alemão no GP da Inglaterra no último final de semana.

AS - www.autoracing.com.br

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.