F1 – Kubica diz que assinou com a Ferrari para 2012

Robert Kubica

Robert Kubica confirmou que assinou um contrato para correr com a Ferrari na Fórmula 1 antes de sofrer o acidente de rali que o deixou com lesões graves e interrompeu sua carreira.

Kubica estava competindo no rali de Ronde di Andora antes do início da temporada de F1 de 2011, quando ele bateu em um guardrail e sofreu ferimentos com risco de vida.

Ele não correu na Fórmula 1 desde então, embora tenha voltado nesta temporada pela primeira vez desde o GP de Abu Dhabi em 2010, como piloto de testes e reserva para a Williams, não conseguindo um assento de corrida para 2018.

Há muito se pensava que Kubica tinha um acordo para mudar da Renault para a Ferrari para a temporada de 2012, mas isso nunca foi formalmente reconhecido por qualquer das partes em público.

Falando no site oficial da Fórmula 1, Kubica revelou que ele havia considerado se retirar do evento andorrano, mas não queria decepcionar a equipe que organizou a oportunidade.

Ele também estava ciente de que “a equipe que eu iria pilotar para o próximo ano, eu não tinha permissão para fazer rali”.

Pressionado pelo anfitrião Tom Clarkson sobre se ele assinou contrato com a Ferrari para ser parceiro de Fernando Alonso em 2012, Kubica respondeu: “Sim”.

Kubica disse que assinou contrato com o então chefe da equipe Ferrari, Stefano Domenicali, e que receberia menos dinheiro do que na Renault.

Kubica disse: “[O] primeiro [objetivo] é entrar na F1. O segundo é se estabelecer na F1, então você tem um bom valor, uma boa reputação, que é mais difícil do que entrar”.

“Terceiro, você ganha um campeonato mundial ou se torna um piloto da Ferrari”.

“Eu não ganhei um campeonato mundial, no final não me tornei piloto da Ferrari, mas estive muito próximo”.

Kubica disse que o conhecimento de que ele havia perdido uma jogada da Ferrari não tornou mais difícil para ele após o acidente.

No entanto, ele admitiu que fornece “dor adicional agora”.

“Minha recuperação foi tão difícil que nos primeiros 16 a 18 meses isso não doeu”, disse Kubica.

“Eu estava lutando, estava me concentrando na recuperação, estava passando por um período difícil”.

“Quanto mais tempo passava, mais difícil se tornava, porque a esperança de que as coisas pudessem ser resolvidas está desaparecendo”.

“Houve momentos em que eu estava me recuperando extraordinariamente bem e houve meses em que as cirurgias deram errado e voltei seis meses em vez de melhorar”.

“Foi doloroso [não correr na F1], mas foi mais doloroso porque eu sabia que iria correr pela Ferrari”.

IB - www.autoracing.com.br

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.