F1 – Grosjean precisa “controlar emoções” por equipe de ponta

Romain Grosjean

Romain Grosjean

Romain Grosjean acredita que ele deve mostrar que pode lidar melhor com a adversidade para ganhar uma vaga em uma equipe de ponta da Fórmula 1. As mensagens de rádio abertas de Grosjean tornaram-se uma característica regular das transmissões de televisão, em particular porque sua equipe Haas lidou com um problema de freio por muito tempo.

Agora, em sua sexta temporada completa de F1, o mais próximo que Grosjean chegou de uma equipe vencedora foi com a Lotus em 2012/13, quando ele conquistou nove pódios. Perguntado sobre o que precisava fazer para ganhar um vaga de primeira linha, ele destacou a maneira como ele apresenta suas emoções.

“Sempre há coisas que você pode melhorar”, disse Grosjean ao site Autosport. “Encontrar o seu caminho quando você está frustrado por lidar com as coisas de forma diferente e lidar melhor com os freios que não funcionam e coisas assim – eu preciso de mais sobre isso”.

“Geralmente, por meu nível de pilotagem, fitness, feedback, estou praticamente pronto para ser campeão mundial em um bom carro”, prosseguiu o francês, que defendeu suas explosões de rádio como prova de sua determinação.

“Eu fiquei frustrado porque quero ganhar. Então, se eu ficar frustrado eu falo no rádio. Senão, onde me manifestaria?”, questionou. “A outra maneira de ver isso é dizer ‘OK, eu não vou ganhar a corrida, eu só vou conseguir meu dinheiro, pilotar e ir para casa'”.

“Se chegar a esse estágio, quando tenho 31 anos e quero ser campeão mundial, então a minha carreira acabou. Enquanto você mantém essa chama e esse espírito vencedor e você não está feliz porque você se classificou em 14º, mas venceu seu companheiro de equipe… isso nunca me deixará feliz”, garantiu.

“Para algumas pessoas será ótimo, mas nunca será para mim. Preciso reduzir minhas mensagens de rádio, mas fico frustrado porque quero ganhar. Se você está liderando ou tem um carro que pode ganhar, então você não está gritando e não está reclamando, porque você está onde você acha que você pertence”, explicou ele.

A movimentação de Grosjean da Lotus – pouco antes de se tornar a equipe de fábrica da Renault – para a Haas, afiliada à Ferrari no ano passado, foi amplamente vista como uma tentativa de ganhar uma futura vaga na Ferrari. Ele acredita que isso permanece uma possibilidade, mas não antes de 2019.

“Ainda estou pensando que um dia as estrelas se alinharão e terei a chance”, acredita Grosjean. “Desde 2015, eu sabia que tinha um contrato de três anos com a Haas, então há um anúncio (a cada ano), mas para mim não é um anúncio”.

“Sempre há possibilidades e acho que em 1º de dezembro Valtteri (Bottas) não esperava estar lutando pelo campeonato mundial em vez de sétimo ou oitavo ou o que for. Então ele recebe um telefonema e está em um carro campeão mundial. As coisas podem acontecer a qualquer momento e espero que meu dia chegue um dia”, finalizou.

EB - www.autoracing.com.br

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que contenham ofensas não serão aprovados pelo moderador.