F1 – Gasly luta para segurar seu assento na Red Bull

Pierre Gasly

A pressão está em Pierre Gasly para mostrar alguma forma para a Red Bull, apesar do conselheiro de automobilismo Helmut Marko ter dito que a vaga do francês está segura – por enquanto.

Gasly, que substituiu Daniel Ricciardo, que foi para a Renault, para a temporada de 2019, teve um final de semana chocante no GP da Alemanha, que incluiu um grande acidente nos treinos de sexta-feira e uma colisão desajeitada com o piloto da Toro Rosso, Alex Albon.

O piloto de 23 anos não ajudou quando o companheiro de equipe de Albon, Daniil Kvyat, finalizou em terceiro, atrás do vencedor da corrida Max Verstappen, que vem confortavelmente mastigando Gasly durante toda a temporada.

A especulação é abundante sobre o futuro de Gasly, e considerando a tendência anterior da Red Bull de trocar quem não desempenha, ele pode sair antes da temporada acabar.

Marko tentou silenciar os rumores afirmando que Gasly permanecerá na equipe de Milton Keynes pelo resto da temporada de 2019.

“Este ano não vamos mudar”, disse Marko.

“Vamos terminar a temporada como estamos atualmente.”

No entanto, quando perguntado se a forma sólida de Kvyat coloca Gasly no centro das atenções, Marko admitiu: “Claro”.

Após a corrida, Gasly ficou “irritado” por não terminar nos pontos, que não só o deixou 107 pontos atrás de Verstappen, mas apenas 7 pontos acima de Carlos Sainz, da McLaren, que terminou em P5 na corrida.

Carlos Sainz, um antigo produto do sistema Red Bull, não conseguiu marcar nas três primeiras corridas da temporada, mas desde então superou Gasly marcando 48 pontos contra 42 do francês nas últimas oito corridas.

“No final, eu estava lutando com Alex durante as últimas voltas”, disse um frustrado Gasly.

“Fizemos contato que tirou minha asa dianteira e furou meu pneu, então eu tive que parar o carro. Eu não sei o que dizer, mas é chato não marcar pontos quando você tem uma corrida como essa.”

O chefe da equipe Red Bull, Christian Horner, deu um golpe velado em Gasly, enquanto Verstappen carrega a equipe nas costas, sugerindo que a “dupla pontuação” é a única maneira de superar a Ferrari na classificação dos construtores.

“Foram altos e baixos”, disse Horner sobre o fim de semana de Gasly.

“Ele teve uma boa classificação, mas depois teve um primeiro pitstop difícil – houve um problema com a porca traseira direita. E então eles tiveram que segurá-lo porque toda a fila de carros entrou.”

“Ele começou a se recuperar e na última relargada ele ultrapassou Sebastian Vettel. Mas depois ele ‘alargou’ a curva 1 em três voltas consecutivas, e é aí que os outros carros passaram por ele.”

“Então, obviamente, correndo contra o Albon, eles tropeçaram um no outro, o que foi frustrante, porque tínhamos uma boa oportunidade hoje para tirar um monte de pontos da Ferrari. Então, em vez de tirar 20 pontos deles, só tiramos sete ou oito.”

“Temos que começar a marcar pontos com ambos os carros. Esse é o nosso alvo no segundo semestre do ano, para realmente fechar essa lacuna.”

De qualquer maneira, a pressão deve permanecer em Gasly após outro final de semana frustrante. Caso ele não consiga impressionar neste fim de semana em Hungaroring, um circuito que deve favorecer a Red Bull, a pressão vai se tornar insuportável.

“Existe atualmente uma maior disparidade entre qualquer dupla de companheiros de equipe no grid da F1 do que entre Max Verstappen e Pierre Gasly? É difícil pensar em uma”, escreveu Luke Slater para o Telegraph.

“Enquanto Verstappen faz uma séria reivindicação de ser como Lewis Hamilton, Gasly não mostra qualquer sinal de ser capaz de igualar seu companheiro.”

“Pode não haver ameaça imediata para o carro de Gasly, mas não é inconcebível que a Red Bull o saque antes do início da próxima temporada, se as performances não melhorarem e um piloto atraente se tornar disponível.

“Ele está em uma luta para salvar seu assento.”

AS - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.