F1 – Ficou evidente que Bernie não podia ficar, diz Carey

Chase Carey e Bernie Ecclestone

Chase Carey e Bernie Ecclestone

O novo chefe da Fórmula 1, Chase Carey, revelou mais sobre as razões que o levaram a substituir Bernie Ecclestone na liderança da categoria, dizendo que a F1 não poderia florescer sob seu regime de “show de um homem só”.

A F1 chega a uma nova era em 2017 sob administração inteiramente nova, após a aquisição pela Liberty Media durante o inverno, sem o envolvimento de Ecclestone, que foi afastado do cargo de CEO que ocupou após 40 anos.

Com Carey assumindo a posição de Ecclestone, o empresário americano revela que queria inicialmente manter a mesma conjuntura para entender melhor a categoria e seu potencial, mas admite que rapidamente ficou claro que os dias de Ecclestone estavam contados.

“Eu reconheci como Bernie dirigiu isso”, disse Carey ao The Times antes do GP da Austrália. “Eu tentei ter a mente aberta para pelo menos entrar, testar e tomar uma decisão com base no que vi, ouvi e constatei, ao invés de uma escolha pré-determinada”.

“Tivemos que ter coragem para dizer que não podia ser um show de um homem só, que ele tinha feito por décadas. Enquanto eu olhava para isso e para a forma como ele controlava cada decisão, até um passe de paddock, e parecia ser realmente difícil de imaginar, tendo feito isso por tanto tempo, que ele poderia mudar”.

“Nós não estamos apenas mudando dez graus. Queremos realmente criar uma nova forma de fazer negócios e uma nova cultura com um universo mais amplo com o qual lidamos. À medida que se aproximava da transição, tornou-se mais aparente que Ecclestone não podia ficar”.

IB - www.autoracing.com.br

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que contenham ofensas não serão aprovados pelo moderador.