F1 – Exclusivo: Contrato de Verstappen tem bônus e cláusula de desempenho

Max, Marko, Jos e Vermeulen

Por: Adauto Silva

O mundo da Formula 1 ficou surpreso com a renovação de Verstappen com os Touros tão prematura esse ano. Esperava-se que esse movimento fosse feito no meio da temporada, depois de todos os pilotos de ponta estarem mais seguros do que fazer para 2021.

Mas a Red Bull não quis “jogar poker” com Verstappen e os Prateados e por isso começou o processo de renovação com Verstappen ainda no GP do Brasil do ano passado.

A fim de evitar o risco de perder Max Verstappen, cujo nome estava frequentemente sendo citado no lado da Mercedes para substituir Lewis Hamilton em 2021, a Red Bull e a Honda decidiram se proteger e prorrogar o contrato do holandês até 2023.

Raymond Vermeulen, empresário de Verstappen, disse que a primeira conversa sobre isso foi durante um jantar com Helmut Marko no Brasil, onde também estavam presentes Max e Jos.

“Coincidentemente” foi poucos dias após o GP do Brasil que Hamilton revelou ao mundo ter tido duas reuniões com o presidente da Ferrari. Mas os Touros já desconfiavam disso cerca de 1 mês antes.

O Autoracing apurou com uma fonte nossa que a Honda foi consultada logo após a primeira reunião em São Paulo e quis participar com praticamente metade dos valores da renovação com Verstappen, o que mostra que a permanência de Max na equipe é uma condição sine qua non para a Honda também ficar na categoria.

Ontem, vários sites no mundo (inclusive o Autoracing) publicaram que o salário de Verstappen será de 40 milhões de euros por ano, mas hoje apuramos mais detalhes com exclusividade, não somente dos valores, mas outros itens bastante importantes.

1. Não será um salário fixo de 40 milhões de euros. Esses 40 milhões contemplam bônus por cada vitória, cada pole, cada eventual título e até por colocações mais atrás, como P2 e P3 em classificação, corridas e vice-campeonatos. Max pode ganhar menos que os 40 milhões no final de cada ano, assim como pode ganhar mais. 40 milhões seria uma média um pouco melhor dos resultados dele e da a Red Bull nos dois últimos anos.

De qualquer maneira, isso indica que Max e seu staff tem grande fé que os Touros e a Honda vão oferecer-lhe um equipamento realmente capaz de brigar por títulos a partir desse ano, pois de outra maneira, Max esperaria mais tempo para decidir.

2. Existem cláusulas de desempenho que em essência obrigam a Red Bull e a Honda a lhe fornecerem carro e motor competitivo para que ele dispute seriamente o título a partir de agora, ou ele fica livre para sair sem multa. Essas cláusulas serão ativadas a cada 3 meses começando no primeiro dia da pré-temporada deste ano, ou seja, no final de maio, caso Max não esteja em uma certa posição na tabela do campeonato (não ficou claro qual posição seria), ele já poderia falar com outras equipes parra 2021.

Isso deixa uma porta aberta para que o mercado de pilotos esquente muito novamente no meio dessa temporada…

Um fato relevante é que Verstappen falou pouco sobre dinheiro nas negociações. O que ele exigiu mesmo foi uma cláusula de saída rápida já no primeiro ano, caso o equipamento não se mostre a altura da concorrência para que ele possa vencer seu primeiro título mundial.

Por isso, o compromisso da Honda com a F1 por enquanto é de até 2021. A extensão da permanência dos japoneses vai depender do desempenho nesses dois próximos anos.

Adauto Silva
Leia e comente outras colunas do Adauto Silva

Clique AQUI para fazer suas apostas esportivas

AS - www.autoracing.com.br

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.