F1 – Drone espião mostra como está o circuito de Zandvoort (vídeo e fotos)

Zandvoort em reforma

O trabalho está em andamento para o próximo GP da Holanda em Zandvoort para a alegria principalmente dos fãs de Max Verstappen.

Jarno Zaffelli está renovando o circuito de Zandvoort com sua empresa Dromo Circuit Design. Ele tem experiência com circuitos em todo o mundo, Renovou Ímola e Silverstone, entre outros.

Após um período de quase 35 anos sem o GP da Holanda, a F1 retornará a Zandvoort em maio de 2020. Mas, por enquanto, não há carros de F1 à vista, apenas escavadeiras, equipamentos de construção e dezenas de trabalhadores na construção.

“Não é um trabalho muito difícil, porque aqui é principalmente areia”, ri Zaffelli, observando uma lacuna entre a curva Kumho e a curva Arie Luyendijk, as duas últimas da pista.

O asfalto foi raspado, as seções de túneis de concreto estão sobre a terra e são içadas no lugar entre pilhas de areia com um metro de altura.

O clima de inverno pode desacelerar o trabalho.

“Isso me lembra quando eu brincava na areia.

“Em Silverstone foi mais difícil porque a superfície era mais dura e tínhamos muito menos tempo. A única coisa que pode atrasar os trabalhos aqui é o clima de inverno. Mas isso só pode retardar o asfalto.”

O vídeo abaixo foi feito por Henk Schuurman no dia 29/12/2019 na hora que o sol estava nascendo em Zandvoort num dia bastante frio e com ventos imprevisíveis.
Coloque seu celular na horizontal para ver o vídeo completo

Em 1985, Niki Lauda foi o último vencedor nas dunas da Holanda do Norte, um local com uma rica história na Formula 1.

Apenas nove outros circuitos no mundo organizaram mais GPd do que Zandvoort, todos no calendário da F1 em 2019.

Nas décadas sem F1, o circuito mudou muito, mas nos próximos meses ainda precisa ser reconstruído com toda a potência que tem.

As reformas mais drásticas serão realizadas nas curvas três e quatorze, na curva Hugenholz e na curva Arie Luyendijk.

“Essas serão curvas inclinadas, que conhecemos de Indianápolis e Daytona”, diz Jan Lammers, diretor de esportes do GP holandês.

“Mas essas inclinações são progressivas”, o que significa que elas ficam mais íngremes do lado de fora.

“Sabemos disso por trenó.”

“Nenhum circuito de Fórmula 1 no mundo tem uma curva assim, muito menos duas,” disse Lammers.

“Essas curvas exigem uma maneira diferente de pensar e acertar o carro. Com uma configuração perfeita para elas, você tem problemas em uma curva mais lenta. Os pilotos precisarão encontrar um compromisso, esse será o desafio.”

Nessas curvas, o trabalho mais difícil para os construtores na pista será nos próximos meses, pensa Zaffelli.

“O asfalto dessas curvas acentuadamente inclinadas será o mais difícil, porque as máquinas normalmente não fazem isso”.

Em fevereiro, o trabalho deve ser concluído. No início de abril, a organização começará com a construção de estandes temporários, adicionando um total de oitenta mil cadeiras.

“Também esperamos organizar alguns eventos locais para testar as coisas”, diz Lammers, que não está preocupado com o resultado e, como Van Overdijk, está olhando orgulhoso para a construção de um dos dois túneis de pedestres.

“No final, estamos ocupados movendo areia”, diz o diretor da pista. “Agora estamos demolindo muito antes que possamos construir qualquer coisa.”

Clique AQUI para fazer suas apostas esportivas

AS - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.