F1 – Carey admite “fadiga” devido a calendários mais longos

Chase Carey

Chase Carey reconheceu que os rumores de calendários com 25 corridas no futuro não são populares no paddock da Fórmula 1.

No próximo ano, o calendário terá inéditas 22 etapas. Porém, no novo regulamento para 2021 e além, uma cláusula para até 25 provas no futuro foi adicionada.

“Nós estamos cientes de que a fadiga é um grande fator neste esporte e que devemos limitar o número de corridas”, declarou o CEO da F1 ao L’Equipe. “Ainda achamos que temos um pouco de margem, mas quando perguntamos a uma equipe ou um piloto, eles preferem 21 corridas ao invés de 22 ou 23”.

Entretanto, Carey diz que, com o 22º evento em 2020, a carga de trabalho extra das equipes foi compensada com uma redução dos testes de inverno e durante a temporada.

“Nós também vamos tentar tornar o fim de semana um pouco menos cansativo dando mais flexibilidade às equipes”, acrescentou ele.

Carey explicou que sua determinação de continuar ampliando o calendário se deve ao “interesse crescente” de potenciais sedes de corridas.

“Nós temos discussões em todos os continentes, exceto a Antártica”, disse ele. “É claro, nossa capacidade é limitada e a demanda é maior do que a oferta. Nós queremos garantir que uma nova corrida traga algo especial para a F1”.

“Também queremos evitar um crescimento à custa de nossas fundações, que são nossas corridas históricas na Europa. É por isso Mônaco e Silverstone recentemente renovaram a longo prazo”, concluiu Carey.

Clique AQUI para apostar no GP do Brasil

 

LS - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , , , , , , , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.