F1 – Bottas não precisa de treinador psicológico

Valtteri Bottas

Valtteri Bottas diz que o seu surto de boa forma em 2019 se deve à sua melhor abordagem psicológica da Fórmula 1. O finlandês ficou devastado por ter sido derrotado pelo companheiro de equipe na Mercedes, Lewis Hamilton, em 2018.

Hamilton afirma que um novo engenheiro tem ajudado Bottas até agora este ano, mas Bottas diz que se trata de muitos “pequenos detalhes”. “Trabalhei nas fraquezas da minha pilotagem e acerto, e na minha barba, claro”, sorriu ao jornal El Mundo Deportivo de Barcelona.

“Acho que é mais uma questão de atitude, porque em todos os esportes também se trata do lado mental. Mais mental do que físico. É sobre o que está aqui”, acrescentou ele, apontando para a cabeça.

Mas o piloto de 29 anos disse que conseguiu isso sem a ajuda de um treinador psicológico. “Não. Não há ninguém que me conheça melhor do que eu”, insistiu Bottas. “Eu sei o que preciso fazer para me apresentar”.

Por exemplo, ele diz que não está nem mesmo sentindo a pressão em 2019, uma temporada em que seu contrato expira, e com Esteban Ocon almejando seu lugar. “Não tenho pressão este ano”, declarou ele. “E eu não vou ter, aconteça o que acontecer”.

“Para mim, a situação atual é um sonho tornado realidade, lutando pelo campeonato e tendo uma batalha tão apertada com Lewis Hamilton. Eu não tenho pressão, estou apenas tentando aproveitar e os resultados chegam”, explicou.

“O final da temporada passada foi muito difícil mentalmente. Foi um período muito difícil para mim. No final do ano, aproveitei o meu tempo para me sentir bem novamente e começar a nova temporada com a atitude certa”, prosseguiu.

Uma percepção é que Bottas abandonou a abordagem de “cara legal”, na qual muitos o viram como um piloto de apoio para o número 1 Hamilton. “Temos sempre de ter respeito e pensar na equipe, mas também temos de pensar em nós próprios e na nossa carreira. Até agora trabalhei pensando no longo prazo, mas este ano estou olhando mais a curto prazo”, comentou ele.

E ele está confiante de que a sua relação com o Hamilton não se desmoronará, como o britânico fez com Nico Rosberg há alguns anos. “Se chegarmos perto do final do ano e lutarmos pelo título, quanto mais perto estivermos mais difícil será”, previu Bottas. “Mas ambos conhecemos a situação, somos adultos e ambos queremos ganhar”.

Hamilton anunciou que foi demasiado “amigável” com Bottas no início da corrida em Baku, mas o finlandês diz que também pode ser mais agressivo. “Penso que estávamos muito limpos em Baku. Também podia ter sido mais agressivo no início, mas temos de pensar sempre no bem da equipe também”, concluiu ele.

EB - www.autoracing.com.br

Tags
, , , , , , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.