F1 – Aston Martin apoia a proposta de “motor mundial” de Todt

Aston Martin

O CEO da Aston Martin, Andy Palmer, apoiou a proposta do presidente da FIA, Jean Todt, de uma especificação comum do motor para ser usada em várias categorias de corridas, incluindo a Fórmula 1.

Todt recentemente sugeriu reviver a ideia de um “motor mundial” para o automobilismo que seu antecessor, Max Mosley, criou em 2009. O conceito original propunha usar um motor de aspiração normal de quatro ou seis cilindros para séries de nível inferior que seria adaptado para campeonatos de ponta usando turbocompressores.

Aston Martin tornou-se o patrocinador título da Red Bull para a temporada de 2018 e está considerando uma entrada na F1 em 2021. Palmer apoiou a ideia de um “motor mundial”.

“Há duas coisas”, explicou. “Uma, alguns indivíduos poderiam fazer um negócio em fabricar o motor que seja bom, ao contrário de ser apenas uma peça de marketing”.

“E, em segundo lugar, coloca a ênfase nos pilotos”.

Os campeonatos que podem fazer uso do “motor mundial” incluem Fórmula 1, Fórmula 2, Fórmula 3, GP3, Campeonato Mundial de Endurance e Indy, que atualmente possuem diferentes especificações de motor. Palmer também sugeriu que séries como o DTM e o Super GT poderiam usar uma versão do motor.

A partir deste ano, os motores de Fórmula 1 precisam fazer sete corridas, superior a 2.100 quilômetros, sob regras que limitam os pilotos a três unidades de potência por temporada. Isso irá aproximá-los de outros campeonatos onde os motores são necessários para cobrir longas distâncias, como o WEC.

IB - www.autoracing.com.br

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que contenham ofensas não serão aprovados pelo moderador.