F1 – 7 corridas, 5 pilotos, 3 equipes e 1 título

Pela primeira vez em muitas temporadas, após 12 de 19 corridas ainda existem cinco pilotos com boas chances de alcançar o título de 2010.

Na verdade, ainda existem 8 pilotos com chances matemáticas, mas Massa, Rosberg e Kubica precisariam de muitas combinações pouco prováveis nas corridas restantes. Então vamos focar nos cinco primeiros, afinal o quinto colocado, Fernando Alonso, está apenas 20 pontos atrás de Mark Webber. Na pontuação nova, isso é menos que uma vitória. Entre os cinco com chances, três já são campeões mundiais, Alonso, Hamilton e Button. Os outros dois, Webber e Vettel, guiam o melhor carro do ano

A temporada até agora teve de tudo: polêmicas, batidas, ultrapassagens emocionantes, chuva e o mais importante; está totalmente imprevisível! Mas, com apenas sete corridas para o fim, que tem coragem de apontar quem vai sair de Abu Dhabi com o troféu de campeão debaixo do braço?


Webber assume a ponta em Barcelona

Mark Webber – Red Bull – 161 pontos

Para Webber, esta é a melhor chance que ele vai ter de ganhar o título – e ele sabe disso. Após ter vencido quatro corridas, ele é o mais vitorioso do ano e está com a faca entre os dentes. Já mostrou para a equipe que não aceita o papel de segundo piloto, apesar de ser um homem de bom senso. Ele cometeu pouquíssimos erros nesta temporada e está com uma vantagem psicológica sobre Vettel. Não apenas isso, mas muitos torcedores neutros têm apoiado Webber após a batida com Vettel em Istambul, quando a Red Bull culpou o australiano ao invés do alemão. Neste ponto, ele lidera o campeonato e por isso é teoricamente o favorito. No passado, ele era conhecido como um piloto que errava muito quando estava perto da frente, mas não é o caso em 2010. Sim, ele cometeu alguns erros – incluindo a voada espetacular em Valência -, mas sua atitude tem sido a de forçar o máximo, mas a um ritmo que ele possa controlar, um atributo que ainda não está tão apurado em seu companheiro de equipe. Webber está com a confiança nas alturas e sente que realmente pode bater Vettel.

Apenas sete corridas o separam de se tornar o primeiro campeão australiano em 30 anos. Ele tem de continuar forçando o máximo e esquecer o campeonato. Ano passado Button quase perdeu o título porque quis administrar a segunda metade da temporada. Além de Vettel, Webber tem três campeões mundiais como adversários, portanto ele precisa guiar para vencer. Carro para isso ele tem, sendo que somente em Monza seu RB6 pode não ser o favorito. De qualquer maneira, seria tolice subestimar Webber.


Hamilton ultrapassa Button para vencer na Turquia

Lewis Hamilton – McLaren – 157 pontos

O piloto da temporada até agora? Muitos dizem que sim. Lewis Hamilton amadureceu muito desde que se tornou campeão em 2008. Em Mônaco, o carro estava muito ruim e ele ficou em quinto. Em Silverstone ele foi o único piloto a chegar perto de Webber, enquanto na Espanha teve um desempenho impressionante até ter um problema mecânico e ficar a pé. Ele não foi bem na classificação da Austrália e da Malásia, por exemplo -, mas cometeu muito poucos erros em comparação a seus rivais. Além disso, cometeu alguns desses erros fazendo algumas ultrapassagens impressionantes. Sua absoluta determinação foi mostrada em Montreal quando ele se tornou o único piloto até agora em 2010, a quebrar o domínio da Red Bull em classificação. Ele teve sorte em Valencia, mas também sofreu com a falta dela na Austrália, Espanha e Hungria. A maturidade é realçada por uma ligeira separação de seu pai. Eles ainda estão muito próximos, mas Lewis tem se distanciado de seu pai e está começando a se tornar mais independente.

As duas próximas corridas são cruciais para a McLaren. Apesar do segundo setor da pista em Spa ter o potencial de perda de tempo de 1 segundo para a Red Bull, no primeiro e terceiro setores, a velocidade da McLaren deve ser fenomenal. Então há Monza … Se Lewis liderar depois de Monza ele provavelmente será o favorito nas casas de aposta, pois terá maximizado suas possibilidades de ganhar seu segundo título.


Vettel comemora vitória em Sepang

Sebastian Vettel – Red Bull – 151 pontos

Em teoria, Vettel poderia estar com nove vitórias este ano. Ele realmente deveria ter pelo menos seis, mas a realidade mostra apenas duas vitórias. Ele tem sido o mestre da classificação e se o campeonato mundial fosse decidido pela posição no grid, ele estaria com duas mãos no troféu. Mas, no domingo de corrida, algo vai mal com mais freqüência do que deveria. Mas por quê? Bem, é uma combinação de erros de Sebastian e da equipe. Sim, Vettel pode dizer que ele é inexperiente, mas ele só tem nove corridas a menos que Lewis Hamilton. A equipe tirou suas chances de vitória no Bahrain e na Austrália, enquanto erros do próprio Vettel acabaram com suas chances em Istambul, Inglaterra e Hungria. Vettel tem sido o grande perdedor de 2010. Ele começou a temporada como uma espécie de garoto de ouro, mas depois de Istambul, ele passou a ser visto como o vilão do paddock por suas ações na corrida e pelo comportamento da equipe.

Ele parece começar a sentir a pressão: a largada ruim na Inglaterra e na Alemanha, e seu comportamento durante e depois da corrida na Hungria. Você começa a sentir que ele está tenso, enquanto Webber parece extremamente relaxado. Isso é mostrado na edição da corrida do GP da Hungria, disponível no site oficial da Formula 1 quando Webber aparece na frente de Vettel depois de sua parada. Vettel, parecendo muito irritado, diz: “Que m**** é essa do Mark estar na minha frente? Como isso é possível?” O burburinho do paddock é que a Red Bull prefere que Vettel ganhe o título ao invés de Webber, mas Dietrich Matsechitz, que é o dono da equipe, declarou firmemente que não importa com qual dos dois a equipe vença, contanto que vença. Vettel tem apenas 10 pontos menos que Webber, mas ele precisa de performances boas, sem erros.


Button vence na China

Jenson Button – McLaren – 147 pontos

“Jenson vai ser assassinado por Lewis”. Essa foi a previsão de pré-temporada dada por Eddie Irvine, vice-campeão em 1999, que sabe tudo sobre lutar contra um companheiro de equipe difícil. Mas, Jenson foi logo provando que não é o caso ao vencer duas corridas das primeiras quatro. Entretanto, no seco Jenson tem perdido alguns décimos para Lewis, e ele continua sua luta com um carro que nem sempre está a seu feitio. Ao contrário de Lewis, ele acha difícil lidar com um carro que pode ser bastante arisco. Apesar de ter marcado pontos em todas as corridas, menos em Monaco, quando teve um problema de motor, começa-se a ter a sensação de que Jenson precisa de uma corrida incomum para colocá-lo em posição de vencer. Jenson está no seu melhor quando o carro está supremo e a corrida requer chamadas rápidas e inteligentes dos pilotos. Suas próprias decisões em Melbourne e Xangai lhes deram 50 pontos, mas com o MP4/25 não andando de forma brilhante no momento atual, Jenson tem que vencer Lewis nas próximas duas corridas, ou a McLaren pode começar a favorecer Hamilton, uma vez que a temporada entra na reta final.

Questionado recentemente pela revista F1Racing se no início do ano ele esperava estar na situação de brigar pelo título nessas alturas, sua resposta foi um enfático “sim”. Button pode precisar de corridas incomuns para subir na classificação, mas um segundo título mundial ainda está a seu alcance, contanto que ele tenha um desempenho melhor aos sábados.


Alonso vence em sua estréia na Ferrari

Fernando Alonso – Ferrari – 141 pontos

Se essa matéria tivesse sido escrita antes do GP da Alemanha, você estaria rindo e dizendo que Alonso não tinha chance. Mas ele lembrou a todos que em 2007 Kimi estava a 26 pontos (65 na pontuação de 2010) de Hamilton, mas ainda assim venceu. Duas corridas depois, e como Alonso mesmo disse, “20 pontos é melhor do que 47”.

A temporada começou com uma vitória no Bahrain, mas foi seguida por corridas medíocres e erros crassos na China e em Monaco, enquanto faltou um pouco de sorte nos GPs do Canadá e Europa. O fogo ainda está queimando – nenhuma dúvida sobre isso – e ele está determinado a ganhar o título depois de algumas temporadas infelizes com a McLaren e Renault. Alguns comentários que ele fez não foram bem recebidos, como afirmar que o GP da Europa foi “manipulado”. Talvez ele tenha se lamentado desses comentários quando seu companheiro de equipe, Felipe Massa, lhe doou uma vitória apenas quatro semanas depois. A Ferrari parece ter conseguido voltar aos trilhos e sua nova asa dianteira, que foi introduzida em Silverstone, parece ter funcionado bem. Alonso disse, após um fraco desempenho na Turquia, que ficou decepcionado com a taxa de trabalho da equipe em comparação com a McLaren, e a Scuderia parece ter respondido aos seus comentários. Ao contrário de seus quatro rivais, Alonso tem o luxo – como mostrado na Alemanha – de ter um companheiro de equipe que não está na disputa pelo título e pode apoiá-lo quando possível. Um terceiro título ainda é possível.

Adauto Silva – 17/08/10
www.autoracing.com.br

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.