Eu tenho ciúmes, ciúmes de você. Por Fernanda de Lima

Hamilton x Rosberg - Bahrain 2014

Hamilton x Rosberg - Bahrain 2014

O espetacular terceiro GP da temporada fez todo mundo voltar a “amar” a F1…

O Autoracing realizou uma pesquisa que comprovou o que todos que assistimos ao GP do Bahrain de F1 já sabíamos. Mais de 4 mil pessoas deram suas notas de 0 a 10 para um dos GPs mais animados, emocionantes e disputados dos últimos anos. 52% dos internautas atribuíram nota 10 à terceira prova da temporada. Ok, passamos a corrida do circuito de Sakhir do patamar de uma das melhores corridas dos últimos tempos à melhor corrida dos últimos tempos.

A corrida que teve como vencedor o inglês Lewis Hamilton foi um grande bônus pros fãs que viram dias, noites, madrugadas, tardes, acompanhando esse esporte, mas serviu também pra trazer aquele público que há tanto reclamava de que a F1 nunca mais fora a mesma depois da morte de Ayrton Senna.

É aqui e agora que expresso o meu lado egoísta. De repente todo mundo voltou a amar a F1! De repente ela passou a ser a menina dos olhos de todo mundo. “Essa é a F1 pela qual eu me apaixonei”. Sim, sou ciumenta. E me vi irritada por ver todos aqueles que avacalharam a F1 nos últimos anos, que a deram como um esporte falido e acabado depois da “Era Senna”, agora a colocarem como a fênix que ressurge das cinzas!!!

Foram anos de hegemonia de um ou outro piloto, de uma ou outra equipe. E essa foi a F1 que acompanhei, que me apaixonei, que vi evoluir, que vi decair. Em dado momento, não só a F1, mas qualquer esporte torna-se enfadonho. Mas por que é que a gente continua acompanhando? Porque nosso coração ainda palpita com as largadas, e por muito tempo só com as largadas.

Tive uma crise de ciúmes. Pronto. Passou. E como bem disse Niki Lauda ao final dessa prova: “Qualquer um que diz que este esporte é tedioso, é um idiota”. Que bom que o GP do Bahrain agradou a gregos e troianos. Espero que tenha, de verdade, resgatado em muitos uma paixão antiga, e que não volte a adormecer num próximo GP sonolento. Quanto mais gente vier para o lado da gente, melhor.

Agora, a que se deve essa corridaça que tivemos? Não sei exatamente se são todas as mudanças para essa temporada surtindo efeito, mas acredito mais numa mudança de postura das equipes. O que teve de mais legal no último domingo? As brigas internas. O pega pra capar entre os companheiros de equipe! Que delícia foi ver menino Daniel Ricciardo não se intimidando com o tetracampeão Sebastian Vettel. Que bom foi ver duas Force Indian decidindo suas posições na pista. Em que mundo vocês se sentiram ao ver Lewis Hamilton e Nico Rosberg numa das brigas que vai entrar para a história dessa nova geração?!

Eu não sabia se fechava ou abria os olhos com aquela disputa linda entre Hamilton e Rosberg. No final da corrida, se a minha memória dos 27 já não está falhando, foi logo antes do safety car sair que a equipe Mercedes passou o mesmo recado pelo rádio aos seus dois pilotos. “Tragam os carros pra casa”. De um lado, um “ok” de Hamilton. Do outro o silêncio de Rosberg. Dada a relargada, o que vimos foram “dois pilotos lutando de forma justa pela vitória”, como disse o diretor de equipe que deve ter ficado com o coração mais na mão nessa corrida, Toto Wolff.

A Mercedes larga na frente no ano. Sem dúvida. A minha preferência é por Nico Rosberg, mas o que há de se bater palmas para o dono do Mundial de 2008 nessa última corrida é brincadeira. A vitória no Bahrain foi no braço. Rosberg tinha o jogo de pneus mais rápido, mas o inglês foi incrível. Talvez essa seja a briga do ano? Se sim, será uma briga boa, porque nem um dos dois está disposto a largar o osso. “Foi uma grande batalha com Lewis. Esse tipo de corrida é exatamente a razão de eu estar na F1”, declarou o alemão. Acredito que essa seja a nossa razão também, Nico. E que tenhamos a consciência de que esse não é um espetáculo rotineiro, mas que quando acontece vale todo o resto.

pit stop: É nessa temporada que a Ferrari chega ao fundo do poço? Se Alonso quer voltar a ser campeão, é melhor começar a procurar outra casa. Rico-pobre-Raikkonen, os tempos de Lotus nem pareciam tão ruins assim…

pit stop 2: Obrigada por nos proporcionar a entrada do safety car, Maldonado. Mas da próxima vez não precisa ser com tanta emoção…

Resultado da pesquisa realizada pelo Autoracing.

“Dê sua nota de 0 a 10 para o GP do Bahrain”:

10 (52%)
9 (21%)
8 (18%)
6 (4%)
Zero (2%)
4 (1%)
2 (2%)

Fernanda de Lima

Leia e comente outras colunas de Fernanda de Lima

AS - www.autoracing.com.br

Tags
, ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.